Previsão do tempo

Hoje - Porto Alegre, R...

Máx
27ºC
Min
20ºC
Predomínio de

Domingo - Porto Alegre...

Máx
25ºC
Min
19ºC
Predomínio de

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 3,88 3,88
EURO 4,35 4,35

Notícias

Justiça de MT recebe representantes do CNJ para debater execução penal

Representantes do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) estarão em Cuiabá na próxima quinta-feira (10 de janeiro), na sede do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, para discutir melhorias em prol da execução penal no Estado. Estarão presentes o secretário-geral do CNJ, desembargador Carlos Vieira von Adamek, e o juiz auxiliar Luis Geraldo Sant’ana Lanfredi. O convite partiu da Corregedoria-Geral da Justiça de Mato Grosso, que pretende mapear boas práticas de gestão em relação ao sistema prisional brasileiro e também aprimorar os trabalhos em relação à execução penal no Estado. Os magistrados serão recepcionados pelo presidente do TJMT, desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha, pelo corregedor-geral da Justiça, desembargador Luiz Ferreira da Silva, e pela vice-presidente do TJMT, desembargadora Maria Helena Gargaglione Póvoas. Dentre os assuntos a serem discutidos no encontro está o aprimoramento da execução penal.   A nova gestão assumiu este mês o comando do Poder Judiciário de Mato Grosso com o objetivo estratégico de garantir um atendimento à sociedade mais efetivo e ágil. Para isso, é meta da diretoria selecionar iniciativas de sucesso que possam ser aplicadas no Estado em áreas persas, como gestão de processos, gestão de pessoas, melhoria da infraestrutura e governança, gestão de custos, fortalecimento da imagem institucional, fomento à responsabilidade social e ambiental, entre outros.   Em relação ao sistema prisional, uma das mais recentes conquistas do Judiciário mato-grossense foi o lançamento, em 20 de dezembro de 2018, da pedra fundamental da primeira Associação de Proteção e Assistência ao Condenado (Apac) do Estado, entidade dedicada à recuperação e reintegração social dos condenados a penas privativas de liberdade. A ação representa a união de esforços entre a Corregedoria-Geral de Justiça, Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário (GMF), Núcleo de Execução Penal da Capital, e persos parceiros, como a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos, Conselho de Execução Penal de Cuiabá (Concep), OAB-MT, Ministério Público e Defensoria Pública.
10/01/2019 (00:00)
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.